-

 

alt

 

Em sessão extraordinária realizada na sexta-feira passada, dia 19 de junho, a Câmara Municipal de Aripuanã rejeitou a instauração de uma CEI (Comissão Especial de Inquérito) para investigar o secretário Geraldo Lara da Silva, por suposto desvio de combustível da Secretaria Municipal de Infraestrutura.

 

 

Apesar de 5 votos favoráveis contra 4 contrários, o pedido foi rejeitado, já que para ser aprovado seria necessário obter 2/3 da votação. O vereador Tita da Morena (PROS) não esteve presente na sessão.

 

 

O autor da denúncia, vereador Audison Lima (DEM), disse que já esperava pelo resultado desfavorável na Câmara, mas que ao mesmo tempo acredita na Justiça. “Quero dizer à sociedade que não serei omisso. Existem outras irregularidades a serem apuradas, portanto vou fazer meu papel de fiscalizador”, afirmou.

 

 

O vereador Jonas Canarinho (PR) classificou a decisão contrária à abertura da Comissão de Inquérito, como vergonhosa para a Câmara. “Nossa obrigação como vereador é fiscalizar e encaminhar as denúncias aos órgãos competentes. Nesse caso, a Câmara está sendo omissa com suas obrigações, isso é uma vergonha”, reclamou.

 

 

Por ser presidente da Câmara, o vereador Erasmo Carlos Contadini (PROS) não participou da votação. Ele afirmou que manifestará sua opinião perante a Justiça. “Temos que respeitar a decisão desta Casa. Vou acompanhar essa situação até o fim, e assim que a Justiça chamar darei meu esclarecimento”, garantiu.

 

 

Os vereadores que foram voto contrário justificaram que não há necessidade de investigação pela Câmara, pois segundo eles, o caso foi encaminhado ao Ministério Público que deverá ouvir as pessoas citadas na denúncia e se necessário tomar as devidas providências.