-
Com aproximadamente 25 mil habitantes, o município, segundo os legisladores, parou no tempo.
 Fonte: Da Assessoria   


alt
 

Demora na liberação de Manejo Florestal, cobrança abusiva de ICMS, regularização fundiária, falta de incentivos do Executivo Estadual para pequenos e médios produtores, deficiência na saúde, segurança e educação. Esses são alguns dos problemas enfrentados pelos moradores de Aripuanã, distante a 1.030 km de Cuiabá, e que foram apresentados pelos vereadores ao deputado Dilmar Dal Bosco (DEM), durante reunião na Câmara Municipal.
 
 
Com aproximadamente 25 mil habitantes, o município, segundo os legisladores Claudionaldo de Souza, o gordinho da Conselvan (DEM), Audilson Lima (DEM), Jonas Canarinho (PR) e Irani Rodrigues (PRB) parou no tempo. Eles afirmaram que a economia local depende exclusivamente do setor madereiro e da agricultura, no entanto, a burocracia posta pelo governo dificulta o desenvolvimento das áreas.
 
 
“Muitos produtores e comerciantes pretendem deixar Aripuanã por falta de incentivos e por não ter mais esperança no crescimento do município,  e nós não queremos que isso aconteça” disse o vereador Audilson.
 
 
Para Dilmar, o Estado tem sido omisso e irresponsável, sobretudo porque arrecada elevada altas soma de valores, mas não dá a contrapartida em serviços. “O setor de base florestal está na UTI. Assim como a saúde, a educação. A única forma de fazer com que o governo cumpra a sua parte é buscando o direito adquirido na Justiça. Proponho que os madeireiros  se una e busquem os Ministérios Públicos Estadual e Federal e exponham o problema, que não é de um ou dois empresários, mas de  todo o segmento que gera milhares de empregos em Mato Grosso” disse o parlamentar
 
 
Na oportunidade, o democrata apresentou o Projeto de Lei n° 14/2013 de sua autoria e do deputado José Riva (PSD) que simplifica a emissão do Manejo Florestal, a partir do Cadastro Ambiental Rural (CAR), eliminando a Licença Ambiental Única (LAU). Para ele, o nova lei vai simplificar o processo na Sema . “Estamos lutando para valorizar esses grandes produtores que ajudam a desenvolver Mato Grosso e vamos cobrar o governador para que sancione essa norma”.