-
De acordo com Dal’ Bosco, a comissão criou uma bancada para acompanhar a pauta no Congresso.
 Fonte: Da Assessoria   

alt

Durante visita ao município de Aripuanã na última sexta-feira (13), o deputado Dilmar Dal’ Bosco aproveitou para participar de uma reunião com a população do distrito de Conselvan, a 80 km de Aripuanã. No local, o parlamentar debateu com os moradores a emancipação política da comunidade, para melhorar o atendimento de serviços públicos e alavancar a economia que depende exclusivamente da agricultura familiar e da base florestal.
 
 
Dilmar é presidente da Comissão Permanente de Revisão Territorial dos Municípios e das Cidades e tem trabalhado no parlamento com o objetivo de ‘pressionar’ o Senado Federal para por em votação a PC1536 que devolve aos estados a autonomia de legislar sobre as emancipações.
 
 
De acordo com Dal’ Bosco, a comissão criou uma bancada para acompanhar a pauta no Congresso. “Criamos uma comissão com 20 distritos que pleiteiam a emancipação para trabalharmos juntos pela aprovação do projeto no Senado, com isso todos os distritos de Mato Grosso irão ganhar” disse o parlamentar.
 
 
O democrata ressaltou que a criação de municípios melhora qualidade de vida da população. “A criação de municípios em Mato Grosso é importante em função de proporcionar melhoria na qualidade de vida de cada comunidade no atendimento dos serviços essenciais como saúde, educação, agricultura familiar e infraestrutura”, afirma.
 
 
Para o vereador Claudionaldo de Souza, o gordinho da Conselvan (DEM), que luta há anos pela criação do município de Conselvan é de extrema importância a aprovação do projeto no Senado.“A situação está complicada, temos apenas um posto de saúde com um médico para atender aproximadamente sete mil habitantes” revelou. 
 
 
Na avaliação do vereador, com a criação do município, Conselvan terá mais atenção do poder público. “Este é o sonho de toda a população, sofremos muito com a falta de saúde, educação e infraestrutura. Confiamos no trabalho do deputado Dilmar Dal’ Bosco para conseguirmos a emancipação”, afirmou.